Follow by Email

sábado, 17 de novembro de 2012

            O Ilustre Desconhecido

                                          Um Homem Chamado Juraíldes

O cantor e compositor Juraildes da Cruz nasceu em Aurora do Norte (GO), hoje estado do Tocantins, um lugar que considera um verdadeiro paraíso. Cresceu ouvindo folias de reis, Cantigas de roda, Luiz Gonzaga e Jackson do pandeiro. Aos nove anos mudou-se para Goiânia, onde aprendeu a tocar vilão com o seu vizinho. Estudou violão clássico, Ouviu muito a "Jovem Guarda", MPB e Rock dos anos 70. Seu trabalho é híbrido de tudo isso, prevalecendo a alma da música original brasileira.
Participou em 2010 do 21° prêmio da música brasileira, consagrou-se como grande vencedor (Voto Popular), e ainda figura como um ilustre desconhecido desses brasis que insiste cada vez mais em reforçar a sua vocação de desconhecedor da verdadeira cultura nacional.
Não que as representações culturais que temos tenham, umas mais valor que as outras, o que se discute aqui são conceitos que vão além do imaginário ordinário e permeiam  o mundo do campo, os valores dos homens de outrora e sobretudo a descrição fiel das lendas o caráter das narrativas e vivências das pessoas que permeiam esse mundo.
Assim podemos conferir nas próprias palavras do autor quando afirma: Andam falando que nóis é caipira, que nossa cara tem milho de pipoca, que nosso rock é dançar catira, que a nossa flauta é feita de taboca, mais nóis não gosta de mentira, nóis é jeca, mais é jóia.

Gravou seu primeiro disco, "Cheiro da Terra", em 1990, contando com a participação de grandes nomes como Chiquinho do Acordeon, Sebastião Tapajós, Paulo Moura, Fernando Carvalho, Nilson Chaves, Mingo e Xangai, Suas composições já foram gravadas por Pena Branca e Xavantinho, Xangai, Rolando Boldrin e Margareth Menezes, entre outros.