Follow by Email

sexta-feira, 30 de março de 2012

J Santos lança livro do MADE, Junto com Otoniel em Salvador

 




                       





Na noite de 18 de abril, às 19h no Museu de Porto Seguro, Cidade Histórica, foi lançado com sessão de autógrafos, o livro e a exposição "Viagem Pitoresca pelo Museu Aberto do Descobrimento", do artista plástico Otoniel Fernandes Neto, com a participação de Jocenilton Santos, (Seleção Literária) e do fotógrafo Clio Luconi.

As pinturas da exposição de Otoniel e fotografias de Clio estão contidas no livro de mesmo nome, e foram inspiradas na região delimitada em 1996 por Decreto Presidencial como o Museu Aberto do Descobrimento (Made), que abrange 78km de faixa litorânea.

O Made não se consolidou e as dificuldades para sua implantação acabaram por desvanecer o projeto, idealizado pela extinta Fundação Quadrilátero do Descobrimento. Porém ninguém nega a importância de se proteger esse sítio, que ainda conserva muitos aspectos descritos por Pero Vaz de Caminha há mais de 500 anos.


As pinturas do artista plástico representam com forte luminosidade e colorido vigoroso, as paisagens e a diversidade cultural da região que compreende o litoral de Prado, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, desde a foz do Rio Caí até o Rio João de Tiba

O resultado dessa viagem ilustrada pode ser conferido na exposição permanente que fica no museu do IPHAN em Porto seguro e no livro catálogo "Viagem Pitoresca pelo Museu Aberto do Descobrimento", bilíngüe em português e inglês.


O projeto do livro foi patrocinado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura, com apoio da Prefeitura de Porto Seguro, e fez parte dos festejos da Semana do Descobrimento de 2011.



Por, Jocenilton Santos.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Jocenilton Santos e.. "O rio Tocantins Ilustrado"






Em continuidade a uma longa parceria de sucesso com a Otoniel Arte Brasil, e revezando-se entre funções culturais diversas, eis que agora Jocenilton Santos lança seu mais recente trabalho fotográfico no livro de arte “Rio Tocantins Ilustrado”, ainda em parceria com o artista Plástico Otoniel Fernandes Neto.
Jocenilton Santos assina nessa obra, a sua coleção fotográfica inspirada no Rio Tocantins. Sua lente se revela vigorosa, substancial e com paisagens e personagens carregada de afetos.
O talentoso fotógrafo e historiador certamente terá a possibilidade alçar vôos mais altos e desenvolverá projetos mais abrangentes.  Seja no campo das artes, com novas pesquisas, seja no campo das produções culturais, envolvendo comunidades das mais diversas naturezas, muitas vezes isoladas pelos sertões brasileiros.


                                               ''Nos lagos afastados e defendidos onde os peixes ficaram aprisionados pela vazante, as aves juntam-se às centenas e quando levantam vôo permanecem girando em torno do lago esperando que o aparente perigo desapareça. Por vezes a qualquer dos grupos se misturam os "Colhereiros" do mesmo  porte que as cegonhas, mas lindamente cor-de-rosa e com o bico achatado tal como uma colher"
                                                                                          Durval Rosa Borges


" Ter a oportunidade de percorrer um rio de sua nascente à foz, seja ele qual for, é uma experiência única de estar em contato com uma estrada hídrica e seus cenários, suas comunidades e variadas manifestações culturais existentes a beira-rio, e de também conhecer pormenores da história, riqueza dos biomas e da nossa geografia" salienta.
                                                  
E continua:
“... no Brasil quando se fala em rios, bacias hidrográficas, etc. logo nos vem à mente o grande rio Amazonas, o Paraná e o Velho Chico. No entanto pouco se tem falado do rio Tocantins, que pode até ser menos cultuado, porém a importância diária para sua gente é a mesma que os outros têm para seus ribeirinhos. a importância de tê-lo conhecido foi de poder "literalmente" viajar e desvendar os mistérios das tradições indígenas e do povo ribeirinho que estão situadas em sua calha. Somente conhecendo-o para se poder vibrar com as inúmeros povos das suas margens, cada um com os seus conceitos e valores, como é o caso dos Kraôs, Xerentes, Carajás, no Tocantins, mais à frente com Gaviões, Guajajara, etc. no Maranhão. As quebradeiras de coco; canoeiros e barqueiros; mães lavadeiras, com a molecada em suas "firulas" saltando das margens e barrancos; nas praias de areias alvíssimas que aparecem no estio, e o belo pôr do sol da praia da "Graciosa", entre muitas outras. A fertilidade do solo no "Bico do Papagaio", considerando-se também a riquíssima cultura local. E no emocionante encontro com o Araguaia, nas cercanias de Marabá, que dão um aspecto especial e  fazem dessa mesopotâmia uma verdadeira dádiva do Brasil!
E finalmente na baía de Guajará, o “braço formoso do Amazonas” se despeja triunfal  finalizando sua epopéia...”                                                                                                                            
                                    





Convite do lançamento do livro e exposição fotográfica!






segunda-feira, 5 de março de 2012

Homem vs Natureza, O artista e os tipos de Percepções.

                     



1 * Com uma boa imaginação conseguimos traçar uma descrição fiel de uma paisagem,
no entanto,
 2 * Observando uma fotografia, esse aguçamento avulta-se em proporções quase infinitas,
Agora,
 3 * Estando "In Loco" e vivendo de fato o sítio a que se pretende retratar,
       ai já é confidência íntima entre cria e criador

O berço das Águas no Centro Oeste!



A MÃE ÁGUA REFUGIOU-SE
LÁ NO ALTO DO PLANALTO CENTRAL.
PARA NO NINHO DA CRIAÇÃO,
ABRIGAR TEUS FILHOS. 
"AS ÁGUAS EMENDADAS"


                           ESTAÇÃO ECOLÓGICA ÁGUAS EMENDADAS

homenagem do fotografo Jocenilton Santos, às nascentes do rio Tocantins.

"Impressões do Velho Chico", em cores e luzes de Fernando Queiróz

JOSÉ FERNANDO DE OLIVEIRA QUEIROZ, OU SIMPLESMENTE FERNANDO QUEIROZ, NASCEU EM 11 DE MAIO DE 1974 NA EMBLEMÁTICA CIDADE DE BARRA BA, Á BEIRA DAS FÉRTEIS MARGENS DO VELHO CHICO, RIO DE SUA VIDA, E UMA DE SUAS MAIORES FONTES DE INSPIRAÇÃO.
AUTODIDATA, NUNCA FRENQUENTOU NENHUMA ESCOLA DE ARTES OU CURSOS DE TÉCNICAS DE APRIMORAMENTOS, (O QUE JÁ É EM SÍ IMPRESSIONANTE.)
ARTISTICAMENTE FALANDO, MESMO QUE FERNANDO NÃO APRESENTASSE UM TRAÇO IMPRESSIONISTA NA SUA FORMA DE PINTAR, MESMO ASSIM O AUTOR NÃO PODIA DEIXAR DE SER CONSIDERADO COMO TAL.
UMA VEZ QUE: UMAS DAS PRINCIPAIS MARCAS DO IMPRESSIONISMO SÃO: JUSTAMENTE, INCIDÊNCIA SOLAR NAS COMPOSIÇÕES, A IMPORTÂNCIA QUE DADA Á NATUREZA, AS CENAS OS EVENTOS DO COTIDIANO E A FIGURA HUMANA, SÃO ELEMENTOS FACILMENTE PERCEPTÍVEIS, OBSERVANDO SUA OBRA.
A ELEGÂNCIA NOS CONTORNOS, A ERUDIÇÃO DOS TRAÇOS, DENOTAM, APESAR DA IDADE, ESTAR DIANTE DE UM VERDADEIRO MESTRE.
COM UMA PALHETADA QUE VALORIZA QUASE SEMPRE A LUMINOSIDADE DOS MOVIMENTOS, O IMPRESSIONISTA DO SÃO FRANCISCO USA E ABUSA DOS FUGIDIOS MOMENTOS DE LUZ, PARA ELABORAR UMA OBRA BELA E ÚNICA.






   

Poema de amor ao rio Tocantins!

           

                          Na melancolia
                      das noites quentes
                              de verão
                          e... sob o luar 
                         das palmeiras e
                            dos buritis...
                                              
                        Eu vejo a sombra
                             do rosto da
                            minha amada
                     resplandecer na água

                    em um lugar qualquer,
                      na imensidão do rio
                              Tocantins!

domingo, 4 de março de 2012

A barbaridade sob a ótica da arte!






                    BARBÁRIE é a tentativa de um retrato da miséria secular

Um paralelo entre o contemporâneo e o medieval, ressaltando os aspectos físicos e plásticos dessa semelhança: Foi o que mostraram através da sua apurada pesquisa, as irmãs Blanche e Marcella Hage em sua exposição "Barbárie", que foi exibido no Senado federal de 10 a 25 de agosto de 2011, e que tem previsão para uma nova coleção e temporada aqui na Capital Federal esse ano aguardem!

A barbárie é vista aqui como decorrente dos aglomerados urbanos que surgem na baixa idade média, onde são atirados os miseráveis para perpetuar essa condição, enquanto as elites erigem suas catedrais. A semelhança com as favelas que explodem no brasil no século XX não são apenas físicas e plásticas, mas refletem uma mentalidade separatista, como se a pobreza fosse uma condenação biológica, antropológica e social.

"As características mais marcantes desses microcosmos ( favelas), que tanto se vislumbram no medieval, vão desde as edificações amontoadas, passando pelos esgotos a céu aberto até as feirinhas irregulares, verdadeiros formigueiros humanos, onde se encontra de tudo" explica Blanche.

Desta forma, a despeito dessa visão romantizada, este trabalho explora um lado carnal e mais virulento das favelas brasileiras que se traduz na pobreza e violência que estão submetidos os seus moradores, transformando a vida destas pessoas num verdadeiro e permanente "circo de horrores".




sábado, 3 de março de 2012

O litoral Cearence em foco!

    
   
Lá estava eu nos idos de 2010, trabalhando na divulgação do livro, "Viagem Pitoresca pelo Litoral Cearence" de Otoniel Fernandes Neto e eis que recebo o convite de ninguém menos que, Alex Uchôa para participar de um ensaio fotográfico seu, ainda tendo as mais belas praias do ceará como pano de fundo.
Imediatamente aceitei o convite por se tratar de um dos principais fotográfos brasileiros e um exímio especialista em paisagens e ecossistemas naturais do país.
O resultado não poderia ser outro,
Um espetáculo.
Curtam um pouco dessas pequenas maravilhas e embarquem nessa viagem!



1/20s f/16.0 at 310.0mm iso100 full exif 


Barrinha, Camocim, Ceara, 1796
06-JUN-2010

Barrinha, Camocim, Ceara, 179.


Pedra Furada, Jericoacaora, Ceara, 6158.jpg
28-JUN-2010

Pedra Furada, Jericoacaora, Ceara, 6158.jpg



Pedra Furada, Jericoacaora, Ceara, 6158-2.jpg
28-JUN-2010

Pedra Furada, Jericoacaora, Ceara, 6158-2.jpg