Follow by Email

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A BUSCA DO PINTOR.

                   



SÓ ME DAREI POR SATISFEITO,
SÓ VOU PARAR DE BUSCAR OS EFEITOS
LUMINOSOS E COLORIDOS
EM MINHAS TELAS, QUANDO AS PESSOAS
SENTIREM A NECESSIDADE DE USAR ÓCULOS ESCUROS AO APRECIÁ-LAS.
SÓ QUANDO O PÚBLICO EXCLAMAR!
ESSA LUMINOSIDADE ESTA FERINDO A MINHA RETINA, OFUSCANDO MEU GLOBO OCULAR,
CAUSANDO-ME IRRITAÇÃO CÓRNEA!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012


Oração Carajá.

Ó sagrado Aruanã,
Grande protetor dos Carajás,
Livra os teus filhos,  
Da extinção e agressão do invasor.
Ilumina-os.
Para mantê-los sempre fiéis a terra.
Ajuda-os a manter suas tradições,
E preservar o que é teu.
Não os deixem dar ouvidos aos salteadores,
Pois esses usam simpatia e fé como pretexto,
Para lhes furtarem o que tens de mais precioso.
Faz-lhes entender e respeitar suas entidades mais sagradas,
Para sempre intocadas nos recônditos das matas,
Nas profundezas dos lagos
 E no rio Araguaia!



segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

IMAGENS PERU EM BICICLETA




Um dos motivos que me levou a representar o trabalho de Antônio Olinto aqui em Brasília, foi justamente a seriedade e o amor com que esse indivíduo realiza seus objetivos.
Outro foi pelo fato do mesmo ter sido o brasileiro precursor em ter dado uma volta ao mundo de bicicleta, e ter feito tantas outras viagens mundo afora.
Por esses e outros, temos motivos de sobra para reverenciarmos esse herói nacional e da resistência sob duas rodas.
Esse trabalho atual, que conta com a presença decisiva de sua companheira e fotografa Rafaela Asprino, que enriqueceu e muito essa aventura pelos tortuosos caminhos da cordilheira andina
Aqui podemos conferir um pouco do que será a exposição, e que estará em breve em cartaz aqui em Brasília.
aguardem!










Esse é o Trailler da do Último DVD Imagens do Perú em bicicleta, de Antônio Olinto e Rafaela Asprino
           Que esse ano fará parte de uma exposição em conjunto na Câmara dos Deputados



Projeto:
Biblioteca da Língua Portuguesa.

Angola, Brasil e Portugal têm laços fraternos que estão para além das questões  idiomáticas  e marítimas. As relações criadas no período colonial, pelo triângulo do comércio de escravos e as vias ultramarinas entre estas nações, propiciaram uma rede de comunicação intensa  que teve a Língua Portuguesa como a ferramenta principal de mediação. Se por um lado o passado mostrou ao mundo a face vergonhosa da escravidão, por outro lado  legou-nos a “Língua de Camões” com toda a sua riqueza linguística e sonora, constituindo um bem comum e a nossa maior herança.
Sendo assim, surgiu a ideia de fazer uma parceria com Bibliotecas públicas e não públicas de Portugal e do Brasil, para recolher livros com o intuito de fundar em Luanda (Angola) a sede da Biblioteca da Língua Portuguesa.
O projeto possibilitará, através da literatura e do incentivo à leitura, manter a boa relação existente entre essas nações que, apesar de separadas geograficamente, se mantêm interligadas por laços de afeto, irmandade e pela língua portuguesa, que neste caso assume o papel mediador de interação e entendimento, visando outras parcerias  e projetos multi culturais.
Apelamos, por isso, que divulguem e apóiem a campanha doando livros de literatura portuguesa ou de temas regionais referentes a esses países e à lusofonia, porque como dizia a poetisa, para nós a Língua Portuguesa “É ter fome, é ter sede de Infinito!”. 


Jocenilton Santos com o então Embaixador de Angola no Brasil, Leovigildo Costa, discutindo a viabilidade do projeto


É de louvar iniciativas que contemplem em seu escopo propostas culturais, literárias e eventos que principalmente sirvam para enalteçer a nossa língua.
O português como idioma falado de milhares de habitantes nos quatro cantos do globo, reivindica iniciativas desse tipo, ainda mais quando essas políticas reforçam laços entre nações que tem muitos aspectos sócio/culturais comuns, mas que estão dispersas geograficamente.
A língua é a marca registrada de um povo de uma nação, e funciona como uma espécie de código fonético que permite pessoas entenderem e serem entendidas, Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São tomé e Príncipe e Timor Leste, teriam pouco em comum se não fossem o idioma português como língua falada entre-si, tornando real tal possibilidade.
Para tanto, surgiu essa iniciativa de criar e difundir em âmbito inter nacional, (uma vez o projeto conta com a parceria de Bibliotecas do Brasil, Portugal e Angola,) o projeto da Biblioteca da Língua Portuguesa, que trata basicamente de uma mobilização para arrecadar livros e fundos para a realização da mesma. 
A idéia é que essa biblioteca além de referência, abrigue um acervo amplo e que ao menos represente, um pouco da diversidade das produções literárias desses países que falam o Português.
Os seus idealizadores desde já apelam para os que se sensibilizam com essa "nobre" causa a contribuir com doações de livros referentes a literaturas do nosso idioma português.
Para entrar em contato conosco.
No brasil, pela Biblioteca comunitária Entre Lagos, Jocenilton Santos é quem organiza a arrecadação, e em Portugal o trabalho fica por conta de Leonor lino, pela Biblioteca Manuel Antônio de Pina. 
Divulguem essa idéia
Dúvidas entrar em contato pelos E-mails: zaramanaz@hotmail.com e leonorosa@gmail.com

Poemas e Tal



    A sina Do Rio.          




                              
                 Assim como todas as coisas grandiosas,
Tudo tem um principio pequeno e limitado.
Como uma mãe que ao dar á luz ao seu pequeno filho,
                    Perde-o para o mundo;

                 O mesmo ocorre com as finas nesgas de água
Que se precipitam e perdem-se mundo afora,
                 Para também encontrar seu destino, seu fim,
“a milhares de quilômetros de distância”


                                                                          Jocenilton Santos.

J Santos Coordena os 10 anos da Exposição Fotográfica "Volta ao Mundo de Bicicleta" de Argus Caruso Saturnino.

     
Convite de Lançamento da Exposição



 
O coordenador do evento Jocenilton Santos, com o Deputado Reginaldo  Lopes, e o artista Argus.







Esse evento que foi a volta ao mundo de bicicleta, possibilitou para mim alçar vôos mais precisos no campo das produções culturais, Uma vez que a complexidade da realização do evento se deu de forma peculiar e adversa ao nosso planejamento. a começar pelo fato de que tudo fosse feito diretamente aqui em  Brasília para facilitar a execução e minimizar erros que nesses eventos se multiplicam de forma homérica, e não o contrário.No entanto o artista achou conveniente, e por questões econômicas providenciar as impressões no Rio de Janeiro, e o restante da exposição aqui mesmo em brasília finalizando assim detalhes como acabamento, impressão  montagem de molduras e etc.
Resultado: como em todo e qualquer evento dessa natureza quando ocorre o lançamento da exposição, a abertura do evento, os presentes ficam maravilhados com o resultado, impressionado com as obras, agradecem e elogiam os artistas, pelo feito mas não imaginam o que ocorreu horas antes ao do lançamento e que possibilitou aquele importante momento.
apesar das adversidades, dos problemas que surgem  de "repente" para dificultar ainda mais o que já não está fácil, da falta organização e tempo, nada se compara ao ver a o evento pronto, O pessoal chegando e prestigiando, assinando a lista de chamada e tecendo comentários elogiosos.
pela realização do mesmo.
Essa é a hora mágica que voçê olha para trás e diz, Valeu a pena!


"Salão Cultural Barra", Impressões em Cores e Formas.






Esse foi  o I Salão cultural da Cidade da Barra, Situada as margens do Velho rio de São Francisco. O evento foi uma iniciativa independente da Otoniel Arte Brasil e do fotógrafo Jocenilton Santos, que juntos promoveram esse primoroso e inesquecível evento.
Além de ter se tornado um grande laboratório, esse Salão serviu para celebrar da arte cultura e preservação da memória do povo ribeirinho, do rio São francisco e da Bahia.
O evento contou com a presença do prefeito da cidade, Arthur Silva Filho, do Secretário de cultura "Rogerinho", de artistas locais e do próprio Otoniel que encheu de orgulho os que ali estavam presentes e enriqueceu a noite.
O evento girou em torno basicamente de trabalhos captados pela essência das crianças que literalmente "roubaram" a cena. e mostraram muita sensibilidade na execução dos desenhos.
Ouve também no evento, contação de histórias, discursos relembrando o passado glórias da cidade, declamações de poemas etc.
O que agora se espera é que as autoridades locais sensibilizem-se com a questão cultural da cidade que é riquíssima e promovam anualmente esse evento que representa, não só a memória e o inconsciente coletivo dos moradores da cidade, como também a possibilidade de descobrir e revelar novos talentos no âmbito artístico/cultural.


Discurso de abertura.


As Belas manhãs da Barra
As Belas manhãs da Barra
O evento
Cartaz na entrada do local do evento.
Amanhecendo na Barra.
Impressões cotidianas
A alegria das viagens
Velha Lavadeira
Velho Vaqueiro.
O coordenador do evento com funcionários do Instituto Aydano  Roriz.
Com o Secretário de Cultura.

Oficina em Sala de aula.


                                                             Em discurso de abertura.


sábado, 25 de fevereiro de 2012

A BUSCA DO PINTOR.

SÓ ME DAREI POR SATISFEITO
SÓ VOU PARAR DE BUSCAR OS EFEITOS
LUMINOSOS E COLORIDOS
EM MINHAS TELAS, QUANDO, AS PESSOAS
SENTIREM NESCESSIDADE DE USAREM ÓCULOS ESCUROS, AO APRECIÁ-LAS.
SÓ QUANDO O PÚBLICO EXCLAMAREM!
ESSA LUMINOSIDADE ESTA FERINDO A MINHA RETINA, OFUSCANDO MEU GLOBO OCULAR
CAUSANDO-ME OBTUSIDADE CÓRNEA!